Trabalho e infância: o outro lado da moeda

  • Laís Leni Lima Universidade Federal de Goiás- Regional Jataí Professora no Curso de Pedagogia e na Pós-Graduação em Educação
  • MARIANA LIMA MARTINS Programa de Pós-Graduação em Educação da UFG-Regional Jataí
Palavras-chave: educação

Resumo

A relação trabalho e educação não é simples de ser estabelecida em função da configuração que o trabalho adquiriu na sociedade contemporânea. Essa relação torna-se mais difícil se acrescentarmos a ela a infância. Reduzidos ao mundo do capital, educação, trabalho e infância perdem seus princípios fundamentais. O processo de trabalho, quando reproduzido na esfera da dominação e da alienação, gera e alimenta um desequilíbrio formativo no mundo da infância. O objetivo deste artigo é compreender a seguinte problematização: por que a sociedade do capital condena o trabalho para a criança ao mesmo tempo em que estimula o consumismo? No decorrer da discussão teórica, propomos pensar os conceitos – trabalho, educação, infância. As fontes pesquisadas contemplaram Marx (1996, 2002), Mascarenhas (2012), Lima (2005, 2010), Arce (2004, 2007), Kuhlmann Junior (1991, 1998a), Stearns (2006), Heywood (2004), Kramer (2001), dentre outros. Apresentamos as análises de dados elaborados a partir de um estudo bibliográfico e empírico.

Biografia do Autor

Laís Leni Lima, Universidade Federal de Goiás- Regional Jataí Professora no Curso de Pedagogia e na Pós-Graduação em Educação
Professora no Curso de Pedagogia e na Pós-Graduação em Educação na Universidade Federal de Goiás- Regional Jataí
MARIANA LIMA MARTINS, Programa de Pós-Graduação em Educação da UFG-Regional Jataí
Pedagoga pela Univeridade Federal de Goiás-Regional Jataí e Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Educação da UFG-Regional Jataí

Referências

#

Publicado
2019-12-14
Como Citar
Lima, L. L., & LIMA MARTINS, M. (2019). Trabalho e infância: o outro lado da moeda. Argumentos Pró-Educação, 4(12). https://doi.org/10.24280/ape.v4i12.519
Seção
Artigo