Educação a distância e a neurociência: os fatores que encantam os alunos

Palavras-chave: neurociência; EaD

Resumo

O objetivo desta pesquisa foi analisar a influência da empatia na relação professor – aluno na Educação a distância. Assim, foi realizada uma pesquisa científica qualitativa, descritiva e exploratória. Em relação aos procedimentos técnicos, escolheu-se o estudo de caso nos cursos técnicos ofertados a distância pelo CEFET-MG e os sujeitos do estudo foram os alunos. Os instrumentos de coleta escolhidos foram: observação online no Ambiente Virtual de Aprendizagem e questionário. Os resultados mostraram que a empatia e a emoção precisam estar presentes nas práticas pedagógicas realizadas via Moodle, sendo que para cada critério da neurociência existem estratégias específicas que, quando utilizadas com determinadas ferramentas digitais do Moodle, serão capazes de proporcionar a empatia entre professor e aluno. Verificou-se que os professores dos cursos estudados têm praticado a comunicação dialógica afetiva e conseguido estabelecer uma relação empática com seus alunos, o que os tem encantado, mantendo-os mais motivados a continuar no curso.

Biografia do Autor

Márcia Gorett Ribeiro Grossi, CEFET-MG
Doutora Ciências da Informação. Mestre em Tecnologia. Professora titular do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG), lotada no departamento de Educação. Líder do grupo de pesquisa AVACEFETMG.
Fabiane Angélica Aguiar, CEFET-MG
Mestranda em Educação Tecnológica pelo Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG). Especialista em Neurociências aplicadas à Educação.  Membro do grupo de pesquisas AVACEFETMGMestranda em Educação Tecnológica pelo Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG). Especialista em Neurociências aplicadas à Educação.  Membro do grupo de pesquisas AVACEFETMG
Alanna Crisitna Landim Souza, CEFET-MG
Mestranda em Educação Tecnológica pelo CEFET-MG, Graduada em Comunicação Social. Membro do Grupo de Pesquisa AVACEFETMG.
Shirley Doweslei Bernardes Borja, CEFET-MG
Mestre em Educação Tecnológica.  Graduada em Letras. Membro do Grupo de pesquisa AVACEFETMG.

Referências

ABED. Associação Brasileira de Educação a Distância. Censo EAD.BR: relatório analítico da aprendizagem a distância no Brasil /2016. Disponível em: <http://abed.org.br/censoead2016/Censo_EAD_2016_portugues.pdf >. Acesso em: 13 jul. 2018.

BRASIL. Casa Civil. Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Dispõe sobre a alteração da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/l13415.htm>. Acesso em: 06 jul. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. A Rede e-Tec Brasil. 2011. Disponível em: <http://redeetec.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=11&Ite mid=1>. Acesso em: 14 jul. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Associação Brasileira de Mantenedoras do Ensino Superior. Portaria nº 1.134, de 10 de outubro de 2016. Dispõe sobre a revogação da Portaria MEC nº 4.059, de 10 de dezembro de 2004, e estabelece nova redação para o tema. Disponível em: <https://abmes.org.br/legislacoes/detalhe/1988/portaria-n-1134>. Acesso em: 06 jul. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – INEP. Censo da Educação Superior. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/artigo/-/asset_publisher/B4AQV9zFY7Bv/content/mec-e-inep-divulgam-dados-do-censo-da-educacao-superior-2016/21206 >. Acesso em: 06 jul. 2018.

BZUNECK, J. A. A motivação do aluno: aspectos introdutórios. In: BORUCHOVITCH, E.; BZUNECK, J. A. (Orgs.). A motivação do aluno: contribuições da psicologia contemporânea. Petrópolis: Vozes, 2009, p.9-36.

CARTER, R.; ALDRIGE, S.; PAGE, M.; PARKER, S. O livro do Cérebro. Rio de Janeiro: Agir, 2012.

CARMO, Cicinato Azevedo. A teoria da distância transacional: para um modelo pedagógico na formação continuada de professores a distância. 2016. Disponível em: <http://www.sied-enped2016.ead.ufscar.br/ojs/index.php/2016/article/view/1030/793>. Acesso em: 06 Jul. 2018.

CNI. Confederação Nacional da Industrial. Cresce interesse feminino por ocupações industriais. 2018. Disponível em: <https://noticias.portaldaindustria.com.br/noticias/educacao/cresce-interesse-feminino-por-ocupacoes-industriais/>. Acesso em: 01 set. 2018.

COSENZA, R.M.; GUERRA, L. B. Neurociência e educação: como o cérebro aprende. Porto Alegre: Artmed, 2014.

FARIA, E. V. O tutor na Educação a Distância: A construção de conhecimentos pela interação nos ambientes midiáticos no contexto da educação libertadora. Scientia FAER, Olímpia, São Paulo, Ano 2, v.2, p.28-37, 2010.

GAGNÉ, R. M. Las condiciones dei aprendizaje. México, Trillas, 1985.

GROSSI, M.G.R.; BORJA, S.D.B. A neurociência e a educação a distância: um diálogo necessário. Revista Tempos e Espaços em Educação, v. 9, n. 19, p. 87-102, mai./ago. 2016.

GROSSI, M.G. R.G.; CHAMON, C.M.; ELIAS, M.C. de S.; LEAL, D.C.C.C. The Educational Potentialities of the Virtual Learning Environments Moodle and Canvas: A Comparative Study. International Journal of Information and Education Technology, v. 8, n. 7, pp. 514-519, 2018.

GROSSI, M.G.R; LOPES, A.M.; COUTO. P.A. A neurociência na formação de professores: um estudo da realidade brasileira. Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 23, n. 41, p. 27-40, jan./jun. 2014.

HACK, J. R. Afetividade em processos comunicacionais de tutoria no ensino superior a distância. Florianópolis: Virtual Educa, 2010. Disponível em: <http://www.hack.cce.prof.ufsc.br/wp-content/uploads/2010/01/VirtualEduca_2010_Hack.pdf>. Acesso em: 07 Jul. 2018.

IBICT. Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia. Biblioteca Digital de Teses e Dissertações. Disponível em: <http://bdtd.ibict.br/vufind/>. Acesso em: 20 jul. 2018.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa nacional por amostra de domicílios contínua – PNAD Contínua. 2016. Disponível em: <ftp://ftp.ibge.gov.br/Trabalho_e_Rendimento/Pesquisa_Nacional_por_Amostra_de_Domicilios_continua/Anual/Acesso_Internet_Televisao_e_Posse_Telefone_Movel_2016/Analise_dos_Resultados.pdf>. Acesso em: 06 Jul. 2018.

KANDEL, E. R.; Schwartz, J. H.; JESSEL, T. M.; SIEGELBAUM, S. A.; HUDESPETH, A. J. Princípios de neurociências. Porto Alegre: AMGH, 2014.

LOURENÇO, Abílio Afono; De PAIVA, Maria Olímpia. A motivação escolar e o processo de aprendizagem. Ciências & Cognição, v. 15, n. 2, p. 132-141, 2010.

MARTINS, I.M.; PEDROSA, M.M.; MATOSO, M. Cá dentro: Guia para descobrir o cérebro. Lisboa: Planeta Tangerina, 2017.

MIGLIORI, Regina. Neurociências e educação. São Paulo: Brasil Sustentável Editora, 2013.

MOODLE. Atividades Moodle. Disponível em: < https://docs.moodle.org/35/en/Activities>. Acesso em: 28 jul.2018.

MOORE, M. G. Teoria da distância transacional. In: KEEGAN, D. Theoretical Principles of distance education. Londre: Routledge, 1993.

MOORE, M. G.; KEARSLEY; G. Educação a distância: sistemas de aprendizagem online. São Paulo: Cengage Learning, 2013.

NOVAES, M. H. Repensando a formação e o exercício profissional do psicólogo escolar na sociedade pós-moderna. In: ALMEIDA, S. F. C. (Org.). Psicologia Escolar: éticas e competências na formação e atuação profissional. SÃO PAULO: Alínea, 2010, p. 127-134.

OLIVEIRA, Paulo Henrique. O ambiente Virtual de aprendizagem e evasão escolar: Estudo de caso em uma instituição pública de Minas Gerais. 2017. 90 f. Dissertação (Mestrado em Educação Tecnológica) - Programa de Pós-Graduação em Educação Tecnológica, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2017.

PRADO, Maria Elisabette Brisola Brito. Educação a distância: os ambientes virtuais e algumas possibilidades pedagógicas. Projeto Gestão Escolar e Tecnologias. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Disponível em: <http://www.eadconsultoria.com.br/matapoio/biblioteca/>. Acesso em: 08 jul.2018.

RIBEIRO, Filonema. Motivação e aprendizagem em contexto escolar. Profforma, n. 3, p.1-5, 2011.

TASSINARI, M.A.; DURANGE, W.T. Experiência empática: Da neurociência à espiritualidade. Revista da Abordagem Gestáltica - Phenomenological Studies – v. XX, n.1, p. 53-60, 2014.

VALENTE, J. A.; MORAN, J. M.; ARANTES, V. A. (org.). Educação a distância: pontos e contrapontos. São Paulo: Summus, 2011.

VIGNEMONT, F.; SINGER, T. The empathic brain: how, when and why? Trends in Cognitive Sciences – Elsevier. 2006. Disponível em: <https://jeannicod.ccsd.cnrs.fr/ijn_00169584/document>. Acesso em: 07 jul. 2018.

Publicado
2019-12-14
Como Citar
Grossi, M. G. R., Aguiar, F. A., Souza, A. C. L., & Borja, S. D. B. (2019). Educação a distância e a neurociência: os fatores que encantam os alunos. Argumentos Pró-Educação, 4(12). https://doi.org/10.24280/ape.v4i12.531
Seção
Artigo