COMO A LÍNGUA MATERNA AFETA O SUJEITO NA APRENDIZAGEM DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS?

Denise Souza Rodrigues Gasparini

Resumo


Neste trabalho, que contempla alguns aspectos de minha dissertação, ainda em desenvolvimento, pretendo oferecer uma contribuição para a discussão teórica da Lingüística Aplicada no que respeita à vertente do ensino e aprendizagem de línguas estrangeiras, e, para tal, proponho a consideração de alguns aspectos do contato do sujeito com a tríade linguagem – língua materna – língua estrangeira, tomando a noção de sujeito do aporte da psicanálise. O sujeito que nos interessa incluir em nossas reflexões é, pois, o sujeito do inconsciente, postulado como constituído e dividido na e pela linguagem. Apresentarei as principais características desta noção adiante.
Minha hipótese considera que a linguagem postulada como constitutiva se materializa para o sujeito em sua língua materna, língua na qual ele está imerso desde antes de seu nascimento e que inscreve nele suas marcas únicas e singulares. A tais marcas atribuo a característica de influenciarem as relações que o sujeito estabelece


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.