A PALAVRA BIBLIOTECA EM DIFERENTES CONDIÇÕES DE PRODUÇÃO DE SENTIDOS

Natália Rodrigues Silva

Resumo


Resumo:
Filiado à Análise de Discurso, o presente artigo tem como objetivo compreender o processo de produção de sentidos da palavra 'biblioteca'. Para isso, o corpus de análise é constituído por recortes da obra ‘O nome
da Rosa’, de Umbeco Eco, publicada em 1983, sendo ficção ambientada na Idade Média e popularizada por filme de Jean-Jacques Annaud, lançado em 1986. Também constitui o corpus de análise os recortes de artigos, da contemporaneidade, do advento Internet, que produzem novos sentidos para a palavra ‘biblioteca’. Dessa forma, nossa análise se volta para o modo como palavra 'biblioteca', enquanto "depósito de livros", se atualiza
em diferentes condições de produção de sentidos, na tensão entre o mesmo e o diferente.

Palavras-chave: Análise de Discurso; Bibliotecas; Idade Média.

 

THE WORD LIBRARY IN DIFFERENT SITUATION PRODUCTION CONDITIONS


Abstract:
Affiliated to Discourse Analysis, this article aims to understand the process of producing meanings of the word 'library'. For this, the corpus of analysis is constituted by cuts of the work 'The name of the Rose', of
Umbeco Eco, published in 1983, being fiction acclimated in Average Age and popularized by film of Jean-Jacques Annaud, released in 1986. The corpus of analysis the clippings of articles, contemporaneity, the advent of the Internet, which produce new meanings for the word 'library'. In this way, our analysis turns to the way the word 'library', as 'deposit of books', is updated in different conditions of sense production, in the tension between the same and the different.

Keywords: Discourse Analysis; Libraries; Middle Ages.


Palavras-chave


Análise de Discurso; Biblioteca; Idade Média

Texto completo:

PDF

Referências


ALTHUSSER, Louis. Aparelhos ideológicos de Estado. 2. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1985.

BLATTMANN, Úrsula. A Universidade do saber encontrado em bibliotecas: ontem, hoje e amanhã. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v. 4, p. 56-71, set. 2006. Número especial. Disponível em: . Acesso em: 05 nov. 2017.

CHAUÍ, Marilena. Convite à filosofia. São Paulo: Ática, 2012.

DIAS, Cristiane. Memória metálica. Disponível em: . Acesso em: 23 mar. 2017.

DIAS, Juciele Pereira. Um gesto de interpretação na história do conhecimento linguístico brasileiro: a definição do nome gramática. 2012. 257 f. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de Santa Maria , Santa Maria, 2012. Disponível em: < http://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/3981/DIAS%2c%20JUCIELE%20PEREIRA.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 15 maio 2018.

ECO, Umberto. O nome da Rosa. São Paulo: Record, 1983.

MARIANI, Bethânia. O PCB e a imprensa: os comunistas no imaginário dos jornais (1922-1989). Rio de Janeiro: Revan; Campinas: UNICAMP, 1998.

______. Fundamentos teóricos da análise do discurso: a questão da produção de sentidos. Caderno de Letras, Niterói, v. 15, p. 33-46, 1997.

MARTINS, Wilson. A palavra escrita: história do livro, da imprensa e da biblioteca. 3. ed. São Paulo: Ática, 2001.

MORIGI, Valdir José. Entre o passado e o presente: as visões de biblioteca no mundo contemporâneo, Revista ACB, v. 10, n. 2, 2005. Disponível em: . Acesso em: 01 nov. 2017.

ORLANDI, Eni Puccinelli. A linguagem e seu funcionamento: as formas do discurso. Campinas, Ed. Pontes, 1983

_______. Discurso, imaginário social e conhecimento. Em Aberto, Brasília, ano 14, n. 61, jan./mar. 1994. Disponível em: . Acesso em: 07 mar. 2018.

______. Exterioridade e ideologia. Cad. Est. Ling., Campinas, n. 30, p. 27-33, Jan./Jun. 1996. Disponível em: . Acesso em: 01 nov. 2017.

______. Análise de Discurso: princípios e procedimentos. 8. ed. Campinas: Pontes, [1996] 2009.

______. Instituição, relatos e lendas: narratividade e individuação dos sujeitos. Pouso Alegre: Univás: Campinas, 2016. Disponível em:

. Acesso em: 04 dez. 2017

PAIVA, Eliane Bezerra; LOPES, Maria Gorette. Biblioteca religiosa e biblioteca medieval: encontro em “O Nome da Rosa”, Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.18, n.1, p.159-169, jan./abr. 2008.

PÊCHEUX, M. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Campinas: Unicamp, 1995.

__________. Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. Campinas: UNICAMP, [1975] 1997.

______. O papel da memória. In: ACHARD, P. et al. O papel da memória. Tradução de José Horta Nunes. 4. ed. Campinas: Pontes, 2007.

______. Análise automática do discurso (AAD-69). In: GADET, Françoise; HALK, Tony. Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. Campinas: Unicamp, [1969] 2014.

_____. Delimitações inversões, deslocamentos. In: Cadernos de Estudos lingüísticos, n. 19. Campinas, IEL, Unicamp, 1990. Disponível em: . Acesso em: 01 nov. 2017.

______. Ler o arquivo hoje. In: ORLANDI, Eni (Org.). Gestos de leitura: da história no discurso. 4. ed. Campinas: Unicamp, [1994] 2014.

PRIBERAM Dicionário. Disponível em: . Acesso em: 04 dez. 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.35501/dissol.v0i9.446

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Natália Rodrigues Silva

Indexação:

                        

 

Associação: