Modernização do estado de Mato Grosso: reformas da educação pública primária (1920-1950)

  • Margarita Victoria Rodríguez UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL http://orcid.org/0000-0003-3075-9336
  • Silvia Helena Andrade de Brito Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Maria Angélica Cardoso Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Resumo

O artigo aborda as reformas da educação pública primária instituídas no Brasil no período 1920-1950, e suas repercussões na estrutura organizacional e no processo de institucionalização do ensino primário em Mato Grosso, identificando a relação existente entre as políticas nacionais de educação e seus desdobramentos regionais. Para tanto, foram coletadas e analisadas normas legais (regulamentos e regimentos), relatórios e discursos de ministros e dos governadores. O resultado do estudo comparativo dos regulamentos que organizavam a educação pública do estado de Mato Grosso dos anos de 1910, 1927 e 1951, evidencia que houve nas propostas de reformas educativas do estado uma sintonia com os ideais de educação republicana, fundamentados na educação laica, gratuita e obrigatória, dado que foram incorporados na legislação os princípios e modelos educativos praticados nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, considerados como cânones de progresso na organização e atualização curricular.

Biografia do Autor

Margarita Victoria Rodríguez, UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL
Possui graduação em Licencia tura en Ciencias de La Educación - Universidad Nacional de Luján (1989) e doutorado em Filosofia e História da Educação pela Universidade Estadual de Campinas (1996). Atualmente é professora da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Pós-doutorado em História da Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em História da Educação e Política Educacional, atuando principalmente nos seguintes temas: política educacional, formação de professores, filosofia da educação, história da educação e educação superior.
Silvia Helena Andrade de Brito, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (1984), mestrado em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (1995) e doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (2001). Desde 2015 é professora associada IV da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em História da Educação, atuando principalmente com os seguintes temas: história da escola na modernidade; história e políticas 
Maria Angélica Cardoso, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Pedagoga, possui Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2005), Especialização em Formação Docente para a Educação Infantil e Fase Inicial do Ensino Fundamental pela UNIDERP (2004) e Doutorado em Filosofia e História da Educação pela UNICAMP. Professora adjunta do Centro de Ciências Humanas e Sociais da UFMS. Trabalhos e publicações na área de História da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: história da educação, história das instituições escolares, organização do trabalho didático, escolas isoladas e escolas multisseriadas.
Publicado
2018-11-28
Seção
Artigo