http://ojs.univas.edu.br/index.php/revistadissol/issue/feed Revista DisSoL - Discurso, Sociedade e Linguagem 2024-02-23T20:30:10-03:00 Editores DisSoL revistadissol@univas.edu.br Open Journal Systems <p>A Revista DisSoL – Discurso, Sociedade e Linguagem (ISSN 2359-2192) – é uma publicação eletrônica semestral, organizada e editada por pesquisadores discentes e docentes do PPGEduCS-Univás. Com o objetivo comprometido na divulgação da produção acadêmica de pesquisadores cujas pesquisas se filiam às questões da Educação e Linguagem. A Revista DisSoL disponibiliza um espaço destinado, à publicação de artigos de docentes e discentes da pós-graduação e da graduação, além da publicação de artigos produzidos por pesquisadores convidados. A Revista disponibiliza espaço para publicação de artigos originais, resenhas, entrevistas e produção artística, além das seções convidados e editorial.</p> http://ojs.univas.edu.br/index.php/revistadissol/article/view/1136 Editorial 2024-02-23T20:30:10-03:00 Diego Henrique Pereira diegopereiraconsultor@hotmail.com 2024-02-06T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Diego Henrique Pereira http://ojs.univas.edu.br/index.php/revistadissol/article/view/1109 RESENHA DA OBRA "LATIM EM PÓ", DE CAETANO W. GALINDO 2024-02-23T20:29:59-03:00 Amanda Timmen Mello amanda.timel@gmail.com <p>Resenha da obra <em>Latim em Pó: um passeio pela formação do nosso português</em>, de Caetano W. Galindo. O livro foi publicado em final de 2022 pela Companhia das Letras.</p> 2024-02-06T23:37:25-03:00 Copyright (c) 2024 Amanda Timmen Mello http://ojs.univas.edu.br/index.php/revistadissol/article/view/1113 A UTILIZAÇÃO DO MÉTODO ROLE-PLAY NO CONTEXTO DO ENSINO DO DIREITO 2024-02-23T20:29:47-03:00 Albano Francisco Schmidt albanodireito@gmail.com Daiani de Oliveira albanodireito@gmail.com <h2>Mudanças no futuro das profissões jurídicas impactadas pela tecnologia e pela heterogeneidade de estudantes egressos do curso de Direito requerem desses para além do conhecimento técnico, exigem desenvolvimento de competências múltiplas. Entretanto, pesquisas mostram que os estudantes não se sentem preparados ao concluir o Curso de Direito. A resposta para essa situação pode estar relacionada ao método aplicado. Com base nisso,&nbsp;o presente artigo trás&nbsp;o método <em>Role-Play</em> como proposta de estratégia educacional para um ensino jurídico de qualidade. Este método diferencia-se das abordagens convencionais, pois o ensino tem como foco o estudante, que&nbsp;assume um personagem de uma situação concreta trazida pelo docente, que tem o papel de mediador. Para o desenvolvimento da simulação, é necessário que cada educando imbuído de seu papel possa aplicar seu aprendizado, desenvolver seu senso crítico, pois estará atuando no papel de um cargo da vida real. O presente trabalho objetiva verificar a efetividade e aplicabilidade do método analisando o maior evento mundial relacionado o <em>JESSUP</em>. Quanto à metodologia, utiliza-se na pesquisa o método bibliográfico, pois são coletados os posicionamentos da doutrina nacional sobre os assuntos necessários para esclarecimento do tema estudado. Quanto aos resultados esperados, pode-se afirmar que o presente trabalho possui relevância não só acadêmica, mas prática, contribuindo para a melhoria do ensino jurídico brasileiro, em benefício de toda a coletividade. Conclui-se pela importância de uma reavaliação do método tradicional utilizado visando um aprendizado que corresponda às aspirações do discente, do mercado de trabalho e um ensino jurídico com mais qualidade.</h2> 2024-02-06T23:40:26-03:00 Copyright (c) 2024 Albano Francisco Schmidt, Daiani de Oliveira http://ojs.univas.edu.br/index.php/revistadissol/article/view/1103 DEMANDAS DA UNIÃO NACIONAL DOS ESTUDANTES – (UNE) PARA A EDUCAÇÃO 2024-02-23T20:29:03-03:00 Aldimara Catarina Brito Delabona Boutin audiboutin@hotmail.com <p>O artigo objetiva evidenciar as demandas da União Nacional dos Estudantes – (UNE) para a educação na atual conjuntura. Sob a orientação do referencial teórico do Materialismo Histórico e Dialético, analisamos 8 edições do informativo “Nossa Voz” da UNE, publicados entre os anos de 2012 à 2020. Nossas reflexões e análises indicam que a demanda pela educação, se fez presente na atuação da UNE em diferentes momentos históricos, sendo orientada por objetivos que priorizam a sua qualidade e democratização. Nas considerações finais apontamos que as demandas da UNE para a educação, priorizam a ampliação de investimentos na área para que as instituições de ensino possam funcionar, oferecendo aos filhos da classe trabalhadora condições de desfrutar da educação como um direito social.&nbsp;</p> <p><strong>Palavras-chave</strong>: Demandas para a educação. União Nacional dos Estudantes – (UNE). Movimento Estudantil.</p> 2024-02-06T23:51:52-03:00 Copyright (c) 2024 Aldimara Catarina Brito Delabona Boutin http://ojs.univas.edu.br/index.php/revistadissol/article/view/1108 A PRESENÇA DE MICHEL PÊCHEUX NO MÉXICO 2024-02-23T20:29:36-03:00 Dilermando Moraes Costa diler_costa@yahoo.com.br Angela Corrêa Ferreira Baalbaki angelabaalbaki@hotmail.com <p><em><span style="font-weight: 400;">Há mais de cinco décadas, o filósofo marxista francês Michel Pêcheux, sempre em colaboração com outros pensadores, iniciou a construção de um robusto empreendimento teórico e analítico, conhecido como Análise de Discurso (AD). A disciplina nascente colocou em relação saberes oriundos de releituras da Linguística estruturalista, da Psicanálise e do Materialismo histórico na construção de um dispositivo que servisse de recurso interpretativo às Ciências Sociais. O trabalho do filósofo pode ser compreendido como uma aventura teórica (MALDIDIER, 1990), a qual constitui seu percurso entre avanços, mudanças na rota, retificações e, de forma emblemática, recomeços que nunca cessam. Devido às constantes movimentações da AD, este trabalho propõe apresentar mais um percurso investigativo quanto à emergência dessa disciplina no México, entre as décadas de 1970 e 1980. Iniciaremos comentando a chegada das ideias de Althusser no México e, em seguida, teceremos comentários sobre a presença de Michel Pêcheux em eventos acadêmicos naquele país nesse momento de ebulição intelectual. Confiamos que este trabalho pode estimular a investigação quanto à presença da AD na América Latina, bem como fomentar o interesse para pesquisas que investiguem como a AD se desenvolveu em diferentes países.</span></em></p> 2024-02-06T23:43:00-03:00 Copyright (c) 2024 Dilermando Moraes Costa, Angela Corrêa Ferreira Baalbaki http://ojs.univas.edu.br/index.php/revistadissol/article/view/1011 ANÁLISE PERFORMÁTICA DA PALAVRA VALA EM "TERRITÓRIOS DA MEMÓRIA", DO INSTITUTO VLADIMIR HERZOG 2024-02-23T20:28:17-03:00 Elke Streit de Oliveira elkstreit@gmail.com <p lang="pt-BR" align="justify"><span style="font-family: Georgia, serif;"><span style="font-size: small;"><strong>Resumo</strong></span></span></p> <p lang="pt-BR" align="justify"><span style="font-family: Georgia, serif;"><span style="font-size: small;">Desde Saussure e a noção de arbitrariedade do signo, passando por Bakhtin e a análise crítica do discurso, chega-se à noção da contextualização das enunciações em Dijk e à performance da palavra em Krieg-Planque com a retomada da discussão em torno da axiologia da enunciação em Paveau, permitindo à análise do discurso múltiplas abordagens que, em comum, superam as noções de objetividade e pureza para a busca de uma funcionalidade crítica da linguagem. Este trabalho analisa a palavra <em>vala </em>em seu processo de metamorfose no contexto de uma obra documental audiovisual sobre os desdobramentos investigativos da Comissão da Verdade, especialmente no cemitério de Dom Bosco, ou, mais popularmente, Perus, ou ainda, como é atualmente chamado, “Colina dos Mártires”. A vala parte de seu significado enquanto substantivo concreto, passando pela metaforização e tornando-se, por fim, um ato de questionamento, uma performance política, conforme Krieg-Planque. Mas a escolha em enunciar “cemitério” ou “vala” quando seus significados se confundem também apontam para uma escolha axiológica e, portanto, política.</span></span></p> <p lang="pt-BR" align="justify">&nbsp;</p> <p lang="pt-BR" align="justify"><span style="font-family: Georgia, serif;"><span style="font-size: small;">Palavras-chave: Comissão da Verdade; vala; análise do discurso performática; axioma.</span></span></p> <p lang="pt-BR" align="justify">&nbsp;</p> 2024-02-07T00:01:38-03:00 Copyright (c) 2024 Elke Streit de Oliveira http://ojs.univas.edu.br/index.php/revistadissol/article/view/1105 CONSIDERAÇÕES SOBRE O CORPO PARADOXAL EM ANÁLISE DE DISCURSO 2024-02-23T20:29:14-03:00 Isaac Costa isaac.costa@tuta.io <p>Neste texto mobilizo a crítica da noção de corpo como organismo em favor da visualização de um corpo paradoxal, afetado pelo contato dos infinitos outros corpos que podem compor sua rede de afecção. A potência do movimento do corpo surge do contato com o outro, da liberdade infinitamente ampliada pelos bons encontros com o outro (SPINOZA, 2018). Essa reflexão dialoga com os estudos conduzidos por Suely Rolnik (2010; 2019); com as concepções sobre o corpo em Análise de Discurso discutidas por Maria Cristina Leandro Ferreira (2011); e, também, com o tratamento afroinspirado da questão do corpo e sua relação com a memória, da maneira como ilustra Leda Maria Martins (2021). O objetivo é o de dar a ver como o corpo comparece como um objeto paradoxal – não apenas um objeto discursivo complexo porque contraditório, mas revestido de tempo, memórias, onomatopeias, assovios; uma miríade de vozes, enunciados, coreografias e olhares que se separam e emaranham de novo nas treliças e nervuras do discurso. Busco encarar o corpo jogado no limbo, num espaço intervalar em que se despedaça, para depois, na dinâmica espiralada que desempenha, ser reunido em palavra e pela palavra dizer de seu hiato.</p> 2024-02-06T23:49:30-03:00 Copyright (c) 2024 Isaac Costa http://ojs.univas.edu.br/index.php/revistadissol/article/view/1096 JUVENTUDES E SEUS HÁBITOS COTIDIANOS NOS INTERVALOS ESCOLARES 2024-02-23T20:28:29-03:00 Luiz Antonio Feliciano luiz.feliciano@uemg.br Julia Limongi Rodrigues Ferreira Seraphim julia.seraphim09@gmail.com Andreia Gonçalves Feliciano andreiafelicianoadvogada@gmail.com <p><em>A sociedade é dividida em grupos com características ou gostos semelhantes e vive uma época pós-moderna, em que se misturam arcaísmos, com desenvolvimento tecnológico. O momento atual é chamado tribal, pois os indivíduos preferem viver a intensidade do momento ao invés de pensar no futuro. Os jovens refletem esse modelo, pois passam por uma fase de instabilidade. Esse texto procura discutir essas questões a partir de uma pesquisa etnográfica, que procurou observar o cotidiano dos estudantes de uma escola de ensino médio regular e outra de ensino médio profissionalizante, ambas da cidade de Lorena (SP). O objetivo foi procurar problematizar os pensamentos dessa parcela da juventude, com base nos modos como agem nos momentos entre as aulas. Ficou evidente a rotinização dos jovens da escola, como um ritual a ser seguido por todos. Uma pesquisa mais aprofundada pode propiciar outros entendimentos sobre o jovem. Espera-se que esse trabalho possa fomentar novas problematizações sobre as juventudes e suas vivências escolares.</em></p> 2024-02-06T23:59:27-03:00 Copyright (c) 2024 Luiz Antonio Feliciano, Julia Limongi Rodrigues Ferreira Seraphim, Andreia Gonçalves Feliciano http://ojs.univas.edu.br/index.php/revistadissol/article/view/1099 A CONSTITUIÇÃO DOS SABERES DOCENTES NA PERSPECTIVA DA PROFISSIONALIZAÇÃO DO ENSINO 2024-02-23T20:28:41-03:00 Luiz Gustavo Bonatto Rufino gustavo_rufino_6@hotmail.com <p><em>O objetivou do presente estudo foi analisar o campo dos saberes docentes a partir de um breve resgate histórico sobre tal constructo teórico, buscando compreender seu assentamento no debate educacional brasileiro, bem como suas possíveis direções futuras. Para isso, analisou-se de modo mais pormenorizado os seguintes eixos: 1) contribuições de autores proeminentes na fundamentação dos saberes docentes (nominalmente Lee Shulman); 2) relações entre os saberes docentes com o campo da formação docente no Brasil; 3) compreensões atuais sobre os conceitos de ofício, profissão, saberes docentes e suas implicações. Com base nas averiguações e discussões analisadas conclui-se que os saberes docentes tem se constituído como um constructo relevante quer do ponto de vista acadêmico, quer com seu impacto na estrutura da formação docente e da prática profissional, possibilitando interfaces entre formação, intervenção profissional e políticas públicas, fato que requer mais estudos tendo em vista seu desenvolvimento. Contudo, há ainda a necessidade de ampliação das investigações para que tal campo adquira perenidade e se consolide dentro das ciências da educação.</em></p> 2024-02-06T23:56:18-03:00 Copyright (c) 2024 Luiz Gustavo Bonatto Rufino http://ojs.univas.edu.br/index.php/revistadissol/article/view/1100 A DIFERENÇA ENTRE O REMÉDIO E O VENENO É A DOSE 2024-02-23T20:28:52-03:00 Mariana Bragança Firmino mariana.b.firmino@unesp.br MARIA SYLVIA CELLI ROGÉRIO maria.sylvia@unesp.br <p><em>O estudo de um novo idioma tem sido cada vez mais recorrente nas instituições de ensino e também fora dela, já que é uma hard skill de grande peso para o mercado de trabalho. No entanto, no mundo pós-moderno, onde as relações de consumo são mais valorizadas que as relações humanas, será que o ensino e aprendizagem de línguas estrangeiras tem possibilitado uma educação emancipatória aos alunos ou tem sido essencialmente técnica? O propósito central deste artigo é evidenciar que na mesma medida que as TDIC (Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação) podem promover a democratização do conhecimento e, consequentemente, o letramento, também podem promover a perda substancial do pensamento crítico, ocasionando a semiformação, se utilizadas de maneira indiscriminada na educação. Como referencial teórico serão utilizados Adorno (2005), Contreras (2002), Freire (1974; 1996), Flusser (1982-2011; 2007), entre outros. Ademais, a fim de garantir o multiletramento aos estudantes, será trazido um panorama acerca das políticas que envolvem o aplicativo Duolingo, para que o docente entenda um pouco como tal recurso didático pode ser explorado de maneira mais engajadora para o processo de ensino e aprendizagem de língua estrangeira, já que as tecnologias fazem e farão mais parte do dia a dia.&nbsp; </em></p> <p><strong>Palavras-chave: </strong>tecnologia; letramento; semiformação; duolingo; língua estrangeira.</p> 2024-02-06T23:53:58-03:00 Copyright (c) 2024 Mariana Bragança Firmino, MARIA SYLVIA CELLI ROGÉRIO http://ojs.univas.edu.br/index.php/revistadissol/article/view/1107 IMPLICAÇÕES DO FOCO DE ATENÇÃO NO ENSINO REMOTO 2024-02-23T20:29:25-03:00 Suely da Silva Oliveira susilveira@unifei.edu.br Pedro Lucas da Silva Felis pedro.lucas-nr@unifei.edu.br Vinícius Costa dos Santos viniciuscosta938@unifei.edu.br Priscilla Chantal Duarte Silva priscillachantal@unifei.edu.br Bianca Cabral Caldeira biancacabral@unifei.edu.br <p>A covid-19 mudou drasticamente a vida de todo mundo, mas de uma maneira mais incisiva a vida dos estudantes. Estudar à distância tem sido um desafio considerável, pois as condições enfrentadas pelos educadores e alunos são imensas. O objetivo deste estudo é analisar de que forma o ensino remoto em meio à pandemia afetou a atenção dos discentes.&nbsp; Parte-se, num primeiro momento, de uma revisão bibliográfica acerca da atenção, abordada pela Psicologia, em bases de dados confiáveis. Posteriormente, utiliza-se o método tipo <em>Survey,</em> a partir da técnica de questionários aplicado a estudantes universitários de uma universidade pública brasileira para averiguar as principais razões pelas quais manter o foco de atenção no ensino remoto pode afetar o desempenho dos discentes. A pesquisa foi realizada por meio de formulário online e disponibilizada por convite aos estudantes universitários. Os resultados apontam que 80,9% dos entrevistados têm dificuldade para focar nos estudos on-line, 65,5% não conseguem seguir um cronograma mensal de estudos, 78,2% se sente prejudicado, 50,9% não possui um local adequado para estudo sem barulhos e interrupções, somente 52,7% tem disponibilidade de horário para assistir as aulas e estudar em tempo integral e 73,6% classificaram seu nível de ansiedade sendo maior ou igual a 6. Conclui-se que a maioria dos discentes estão enfrentando inúmeras dificuldades advindas do atual cenário de pandemia e do ensino remoto, o que motiva uma investigação mais detalhada sobre a atenção e foco nos estudos.</p> <p>&nbsp;</p> 2024-02-06T23:46:27-03:00 Copyright (c) 2024 Suely da Silva Oliveira, Pedro Lucas da Silva Felis, Vinícius Costa dos Santos, Priscilla Chantal Duarte Silva, Bianca Cabral Caldeira